Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Política

De música, livros, fidalguia e dialética


Por: REDAÇÃO Portal

O TCE prestou ontem uma homenagem ao conselheiro João Campos, que faleceu em Gravatá, vítima de infarto, na véspera de completar 50 anos. Cada um dos seis conselheiros destacou um traço da personalidade dele

O TCE prestou ontem uma homenagem ao conselheiro João Campos, que faleceu em Gravatá, vítima de infarto, na véspera de completar 50 anos. Cada um dos seis conselheiros destacou um traço da personalidade dele

Foto: TCE-PE

25/07/2019
    Compartilhe:

Coluna Fogo Cruzado – 4 de julho de 2019

O TCE prestou ontem uma homenagem ao conselheiro João Campos (foto), que faleceu em Gravatá, vítima de infarto, na véspera de completar 50 anos. Cada um dos seis conselheiros, a começar pelo presidente, Marco Loreto, destacou um traço da personalidade dele, sendo que todos foram unânimes numa coisa: tratava-se de um fidalgo, estudioso e culto, com uma legião de amigos e admiradores em todas as áreas por onde transitou. Loreto frisou ter perdido um irmão, tamanha era a amizade que os unia desde os tempos de adolescente. Já Dirceu Rodolfo o definiu como um “abnegado resolvedor de conflitos” e Ranilson Ramos como um “professor”, que o ensinou a não ter medo de debates, mesmo em posição minoritária. Teresa Duere destacou o profundo respeito que ele tinha pela divergência e Luiz Arcoverde Filho o fato de Campos ter contribuído para o “bom debate”. Valdecir Pascoal fez referência a dois livros escritos por Renato Carneiro Campos, pai do falecido, “Sempre aos domingos” e “Tempo amarelo”, bem como à veneração que o filho tinha pela figura paterna. E já que se tratava de um amante das artes, inseriu-se também a música no contexto. Dirceu evocou “Unforgettable”, dueto de Kat King Cole e a filha, Natalie, como sendo uma das preferidas de João Campos, Carlos Porto parafraseou Cazuza para dizer que a morte do colega adveio “sem explicação” e Pascoal citou Gonzaguinha (“Caminhos do coração”), para quem “toda pessoa sempre é as marcas das lições diárias de outras tantas pessoas”. O encerramento ficou por conta de Duere, que recorreu a Sérgio Bittencourt na homenagem que prestou ao pai, Jacob do Bandolim: “Naquela mesa tá faltando ele/ e a saudade dele/ Tá doendo em mim”. João Campos sentava-se ao lado dela, à esquerda do presidente, e ambos travaram bons e inesquecíveis debates na Primeira Câmara.

Colegas de faculdade

Germana Laureano, procuradora-geral do Ministério Público de Contas, lembrou ontem no TCE que conheceu o conselheiro João Campos na Faculdade de Direito do Recife. Os colegas o chamavam de “Joãozinho”. Os dois voltaram a se encontrar no TCE, ela como procuradora de contas e ele como conselheiro. Mas ambos nem sempre estavam do mesmo lado.

Era do bem

Em nome dos advogados que atuam no TCE, Márcio Alves reverenciou ontem no plenário a memória de João Campos. “Suas virtudes eram muitas: simplicidade, discrição, lealdade, cordialidade, lucidez, atencioso com as pessoas que o procuravam, inteligente, firme em suas posições. Era todo bondade, repudiava o mal e a prepotência e sempre buscou fazer o bem”.

Mínimo do mínimo   

Dados divulgados ontem pelo Anuário Brasileiro de Educação Básica revelam que 45% dos 5.565 municípios brasileiros investem menos na manutenção e desenvolvimento do ensino do que o mínimo constitucional, que é 25% da receita corrente líquida. O descumprimento dessa regra enseja rejeição de contas, o que pode deixar o gestor inelegível por 8 anos.

Dinheiro verde-amarelo

Enquanto a prefeitura do Recife pena há anos para contrair um empréstimo externo a fim de investir em obras de infraestrutura, o BNDES aprovou ontem um financiamento de R$ 145 milhões para a Prefeitura de Fortaleza investir em saneamento. Lembre-se que o prefeito Roberto Cláudio é do PDT de Ciro Gomes e o governador Camilo Santana é do PT de Lula.

Obras inacabadas

Ficou pronto o relatório sobre obras federais inacabadas, nos estados, solicitado aos Tribunais de Contas pelo ministro Dias Toffoli (STF). Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo concentram o maior número de obras inconclusas. Pernambuco tinha até dezembro 1.548 obras inacabadas dos três níveis de governo.

Data auspiciosa

O ex-ministro Gustavo Krause acha que os jovens de hoje talvez não valorizem tanto a estabilidade monetária do país porque só conhecem o Brasil do “pós” Real. Antes, lembra, o país teve 7 planos econômicos fracassados e a 15 ministros da Fazenda na condução dessa política, que só veio a dar certo quando o então ministro FHC bancou a implantação do Real.    

Governo itinerante

O prefeito de Iguaracy, José Torres Filho (PSB), o “Zeinha”, veio ontem ao Recife atrás de apoio para substituir 200 casas de taipa que existem em seu município. “Tuparetama, que é um município vizinho ao nosso, não tem nenhuma”, disse ele. O prefeito afirma também que o programa “Governo Itinerante”, que leva serviços à zona rural a cada 30 dias, tem 90% de aprovação.        

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook