Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Negócios

Como se tornar um herói sem capa e saltar do zero ao topo da relevância na internet

Ouvir

Por: REDAÇÃO Portal

Confira entrevista com Robson Galvão, idealizador do Zero To Hero, encontro que acontece nesta semana, no Recife, com a ambição de ser o maior evento de marketing digital do Nordeste

Confira entrevista com Robson Galvão, idealizador do Zero To Hero, encontro que acontece nesta semana, no Recife, com a ambição de ser o maior evento de marketing digital do Nordeste

Foto: Zero To Hero Experience/Divulgação

12/08/2019
    Compartilhe:

Fernando Ítalo

Robson Galvão começou cedo a exercitar a veia empreendedora. Aos oito anos, vendia figurinhas na escola. Aos 19, se formou em marketing. Depois de uma temporada na Nova Zelândia, voltou ao Recife, sua cidade natal, e começou a distribuir suplementos de marcas do Sudeste, usando as redes sociais. Fazia a entrega de bike, como gosta de contar. O passo seguinte foi criar, em 2017, sua própria empresa de produtos fitness, a Nutrin Group, hoje um negócio digital bem estruturado, com quarenta empregados. 

Essa experiência levou Robson Galvão, agora com 28 anos, a querer não apenas compartilhar sua história, mas também divulgar e discutir como a internet pode contribuir para o sucesso de uma ideia, seja um negócio, seja outro tipo de projeto. Foi daí que surgiu o Zero To Hero Experience, que tem a ambição de ocupar uma lacuna no Nordeste e ser reconhecido como o maior evento sobre marketing digital na região. A primeira edição começa nesta sexta-feira (16/8), ocupando sete mil metros quadrados no Centro de Convenções de Pernambuco, com a meta ousada de reunir entre 2 mil e 2,5 mil participantes. O empreendedor já articula um passo mais audacioso: no primeiro semestre de 2020, vai realizar a próxima edição, em São Paulo, concorrendo com outros encontros de peso do segmento, que acontecem na capital paulista.

Entre um compromisso e outro da organização do Zero To Hero Experience, o empresário conversou com o Movimento Econômico sobre negócios na rede, influenciadores, tendências e, claro, sobre o evento.
 
ME - Como você vê o grau de amadurecimento do marketing digital hoje no Brasil?
Robson Galvão - Se você tomar como referência o mercado norte-americano, onde o marketing digital nasceu, vemos que os Estados Unidos estão muito à frente do Brasil. Podemos citar como exemplo, a agenda intensa de mega eventos de marketing digital no país. Apesar desse gap, de um modo geral, o Brasil tem evoluído muito. Uma evidência dessa evolução é a expansão dos influenciadores digitais. Antes, a influência estava bastante concentrada em diversos veículos e diversas mídias tradicionais. Hoje, temos diversas influências, e os canais tradicionais, como a TV e o rádio, têm de dividir espaço com os influenciadores, que têm impactado muito as pessoas. 

ME – E qual o futuro se pode esperar do marketing na web?
Robson Galvão - O que se percebe é que tudo está se conectando, de forma crescente, com o marketing digital. Ele não vai substituir o marketing tradicional, muito pelo contrário. Na verdade, ele vem para fortalecer as mídias. E isso se deve a uma sociedade cada vez mais conectada na internet, por meio dos celulares. No Brasil, por exemplo, os estudos mostram que as pessoas passam em média oito horas por dia conectadas na internet via mobile. E falar de internet é falar de marketing digital. Nesse contexto, as marcas têm cada vez mais que entender como o consumidor está se comportando e onde ele está, na rede e fora dela, para poder atingi-lo e impactá-lo das mais diversas formas. 

ME - Entender isso implica também em ter estratégias diferentes para cada mídia na internet, já que a sociedade é cada vez mais plural e os consumidores optam por plataformas diferentes, com linguagens bem distintas?
Robson Galvão - Sim. Existem diversas mídias na rede em que você pode impactar seus consumidores. Mas as principais são as redes sociais e mais especificamente o Instagram, onde atualmente as pessoas estão mais conectadas. Existe o WhatsApp, onde o marketing digital ainda está em fase de testes e atualmente, no caso do Brasil, só disponível para grandes empresas. Então, hoje o Instagram é a rede mais relevante, em destaque, onde está o maio peso dos influenciadores e da comunicação das marcas. E que tem característica bem próprias, como uma interação leve e natural, um conteúdo visual, com fotos e vídeos curtos, e a linha de compartilhar momentos e lembranças. Mas o Instagram é apenas um parte desse mercado formado por uma gama enorme de nichos e mídias com características próprias.

ME – O crescimento do Instagram aponta para o fim do ciclo de vida do Facebook?
Robson Galvão – Faria essa análise por um outro viés. É preciso lembrar que o Facebook é um produto da mesma família do Instagram e do WhatsApp e a migração de usuários de uma plataforma para outra, na mesma família, só evidencia uma tendência, que é essa migração de forma cíclica. Tudo é questão de tempo. Hoje, a plataforma da vez é o Instagram, como já foi o Facebook. Amanhã, pode ser outra. Nesse movimento, o consumidor não pensa muito ao migrar, ele vai seguindo conforme a sua experiência e o comportamento de outros consumidores. Daqui há um ano, a plataforma mais relevante pode não ser o Instagram e surgir uma nova rede. Como o cenário é fluido, as marcas têm que estar preparadas para essas mudanças, entender os canais e se comunicar com seus clientes atentas a essa migração. 
 
ME - Como você avalia o fim dos likes no Instagram, nos dispositivos móveis? 
Robson Galvão
- O fim dos likes no Instagram foi um teste. Não sabemos se vai permanecer ou não. Mas não impacta tanto o marketing digital porque os influenciadores e as marcas que estão na rede contam com recursos e formas de interação muito mais importantes e que são medidas pelo analytics do Instagram e consideradas nos indicadores de engajamento. Por exemplo, salvar uma foto que está no post de uma marca, fazer um comentário ou procurar uma marca na ferramenta de busca da rede são interações contabilizadas como conexão com a marca. Hoje, as visualizações dos Stories são muito relevantes. No caso dos influenciadores, o impacto também precisa ser visto por esse ângulo. Mesmo, quando os likes estavam visíveis para toda a rede e não apenas para o dono do perfil, um influenciador não era avaliado, por uma marca que queria contratá-lo, apenas pelas curtidas. Os Stories eram analisados e agora ganham ainda mais importância. Em resumo, as conexões geradas por estratégias e conteúdos são o que vale. 
 
ME - O que define um conteúdo relevante? 
Robson Galvão
-  O conteúdo que é relevante para uma pessoa pode não ser para outra. Então, conteúdo relevante é tudo aquilo que uma determinada audiência quer, que engaja, que conecta as pessoas de um nicho. Por exemplo, você pode ter um comediante que produz um conteúdo, às vezes bem simples, espontâneo, mas que engaja alguém que está procurando exatamente aquilo. Então relevante é aquilo que se faz totalmente direcionado para um público e gera engajamento desse público, faz as pessoas seguirem uma marca ou influenciador, faz com que elas queriam assistir a esse conteúdo com frequência.

ME – No caso de estratégias e campanhas digitais, como atingir bons resultados? 
Robson Galvão
- É muito importante entender quem é o seu público para aplicar, integrados, os três marketings do futuro: de influência, de conteúdo e de experiência. Isso é o que vai fazer uma campanha ser relevante. O marketing de influência, por meio de líderes do público que se quer atingir e outras ações, é essencial para formar uma autoridade sobre determinado assunto, usando influenciadores que entendem desse segmento e conversam com esse público. No marketing de conteúdo, o objetivo também é formar uma autoridade, mas oferecendo conteúdo relevante na página da empresa, nas redes e por outros canais, ao invés de oferecer algo no formato de propaganda. O marketing de experiência, que busca atender e superar as expectativas dos clientes, se soma aos demais e também é vital, já que as pessoas não compram mais um produto ou serviço e sim uma experiência. É a estratégia adequada e sinérgica para todas essas ações que vai contribuir para o sucesso da campanha e não existe receita de bolo para isso.  (Confira áudio)
  
ME - Em relação aos influenciadores, a segmentação deve se aprofundar, ampliando a pulverização e gerando espaço para cada vez mais influencers? 
Robson Galvão
– Observando o que já acontece nos Estados Unidos, onde existem eventos de nicho, eventos gigantes de vídeo com influenciadores para um determinado público, percebe-se que a tendência é que tudo fique cada vez mais segmentado. Aqui no Brasil, mesmo numa proporção menor, não é diferente. Hoje, temos no país influenciadores de moda, de humor, de música, de comportamento, de religião. Então, os influenciadores nada mais são que líderes de um certo segmento que contam com autoridade para se comunicar com pessoas interessadas nesse nicho. Eles são especialistas em transmitir conteúdo de nicho, têm domínio desse conteúdo e sabem se promover, pois muitos contam com o suporte de agências e empresários para conseguir administrar e manter a carreira. O que se deve ter em mente é que nenhum influenciador consegue ou pode abraçar tudo e a grande maioria do seu público quer consumir conteúdo sobre algo específico. 

ME - Como o Zero To Hero se insere no debate sobre essas e outras tendências do marketing digital?
Robson Galvão
– O Zero To Hero foi criado para trazer algo que não existia no Nordeste, com essa dimensão. Não havia, na região, eventos desse porte e que falassem sobre marketing digital com essa profundidade, que trouxessem tantas pessoas com essa relevância para debater os mais variados temas ligados ao digital.  Eu viajava para outras regiões para consumir esse conteúdo e percebi que havia um grande espaço a ser preenchido aqui. Decidi ocupar essa lacuna, promovendo um evento que atende a diversos públicos. O encontro que não é só para empreendedores. É voltado para qualquer pessoa, como profissionais da área que querem fazer diferente ou fazer melhor usando mais estrategicamente as possibilidades e recursos da internet. E também para quem quer se tornar um influenciador ou melhorar a performance como influencer.  Temos um público muito grande a atender, pois o mundo digital é uma realidade e uma oportunidade, seja você dono de um negócio ou não. Entender como se destacar nessas mídias é o que vamos mostrar no Zero To Hero. Mostrar como você pode se tornar um herói no seu segmento, entendendo o mercado digital. 

Evento: Zero To Hero Experience
Quando: 16 e 17/8
Horário: 8h às 20h
Local: Centro de Convenções de Pernambuco
Principais palestrantes: Kim Archetti (Canal do Kim), Carlinhos Maia (influencer), Luís Justo (Rock In Rio), Bruno Nardon (Rappi), Caio Carneiro (autor do best seller Seja Foda), Érico Borgo (Omelete), Martha Gabriel (especialista em marketing digital), Camilo Coutinho (Play de Prata), Fábio Prada (AD Results) e Giulliano Puga (Labellamafia) 
Endereço: av. Prof. Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho, Olinda
Informações e ingressos: https://www.zerotoheroexperience.com.br/
 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook