Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Negócios

Faturamento com vendas online na Black Friday cresceu 23,6%


Por: PATRÍCIA RAPOSO

Crise não afugentou consumidores, que somaram 2,85 milhões de pessoas

Crise não afugentou consumidores, que somaram 2,85 milhões de pessoas

Foto: Kalhh, Pixabay

02/12/2019
    Compartilhe:

As vendas online na Black Friday alcançaram neste ano R$ 3,2 bilhões entre a quinta-feira, 28, e a sexta-feira, 29 de novembro. O levantamento é da Ebit|Nielsen, referência em informações sobre o e-commerce brasileiro. Em 2018, o faturamento ficou na casa dos RF$ 2,6 bilhões. Isso representou uma alta de 23,6% de um ano para outro.

Foram 2,85 milhões de consumidores, um crescimento de 18,1% em relação a 2018. Deste total, 418 mil foram novos consumidores, que compraram pela primeira vez, representando elevação de 12%.

O número de pedidos também cresceu: foram, 5,33 milhões contra  4,27 milhões do ano passado, com alta de 25%, segundo o levantamento. Mas o ticket médio teve leve redução: R$ 602 reais contra R$ 608 (-1,1%).

As aquisições através de aparelhos móveis tiveram alta de 4% entre 2018 e 2019 e este ano corresponderam a 55% das compras realizadas, contra 52% no ano anterior.

A região que mais faturou com a Black Friday foi o Sudeste, abocanhando R$ 2.066 bilhões (64%). Em seguida, veio o Sul, com R$ 463 milhões; Nordeste, com R$ 377 milhões; Centro-Oeste, com R$ 213 milhões; e Norte, com 88 milhões.

Embora tenha participado com faturamento menor, a região Norte foi a que teve maior crescimento de vendas: 44%, seguida pelo Centro-Oeste, com 39%; Nordeste, com 34%; Sudeste, com 22%; e Sul, com 13%.

De acordo com a líder comercial da Ebit, Ana Szasz, o consumidor brasileiro tem migrado das lojas físicas para as compras online. Em função disso, ela diz, a data vem se consolidando nos últimos anos no varejo brasileiro.

O movimento reflete a liberação do FGTS, melhoras no mercado de trabalho e maior oferta de crédito. Inadimplência mais baixa estimula bancos a ofertar mais crédito. Por parte dos consumidores, as taxas de juros menores e a melhora da confiança vêm elevando a demanda por crédito

Reclamações

Por outro lado, o site Reclama AQUI, que monitorou as queixas de Black Friday entre 11h da quarta-feira, 27, até 18h da sexta, 29, recebeu 7.100 reclamações. O volume foi 50,5% maior que o mesmo período medido na edição 2018 (3.332 reclamações). 

Segundo o site, no total, o volume de reclamações já superou todo o ano de 2018, quando o balanço final ficou em 5.607 reclamações. 

O principal motivo das queixas foi a propaganda enganosa, com 32,03% do volume. Logo depois, aparecem os problemas na finalização da compra (11,37%), divergência de valores (8,28%), por conta das promoções antecipadas que algumas marcas proporcionaram, atraso na entrega aparece em quarto lugar, com 6,24% e em quinto lugar, estorno do valor pago (4,54%).

Entre os produtos que mais geraram reclamações estão celulares (10,22%), tênis (6,35%), cartões de crédito (4,28%), TV (3,9%) e componentes, peças e acessórios (3,78%).

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook