Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Tecnologia

Investimento em tecnologia bancária só cresce


Por: REDAÇÃO Portal

Até 2022, devem ser investidos cerca de R$ 30 bilhões no setor. Conheça as tecnologias mais promissoras

Até 2022, devem ser investidos cerca de R$ 30 bilhões no setor. Conheça as tecnologias mais promissoras

Foto: Reprodução da internet

31/05/2021
    Compartilhe:

A transformação digital caminha a passos largos entre os bancos. Os investimentos em tecnologia por parte dos bancos devem atingir a marca de R$ 30 bilhões até o ano de 2022, segundo um levantamento realizado pela Fundação Getúlio Vargas.

Este é um movimento natural e muito importante para o setor, uma vez que esse tipo de investimento impacta diretamente não somente as estratégia internas das instituições financeiras, mas também o público, que tem se adaptado cada vez mais rápido às vantagens e comodidades da tecnologia.

Não à toa, a tendência do e-banking também ganhou destaque no país em 2020. Segundo uma pesquisa da ComScore, o alcance dos bancos digitais chegou a 73% de toda a população brasileira, em especial por conta da pandemia de Covid-19. Contudo, engana-se quem pensa que a transformação tecnológica e seus benefícios no sistema financeiro se limitam à criação de bancos digitalizados.

O uso de tecnologia tem promovido excelentes resultados entre bancos tradicionais. “Um dos maiores bancos do Brasil, percebeu ainda no primeiro mês de operação em suas mais de 4 mil unidades uma redução de 61% nos custos, além de uma diminuição de 52% no tempo médio de serviço”, relata Fábio Freire, CEO e cofundador da FindUP , startup de tecnologia do ramo de TI.

A FindUP é fornecedora de tecnologia para a gestão completa de Field Service, que refere-se ao gerenciamento dos recursos de uma empresa empregados na propriedade dos clientes ou a caminho dela, e não na propriedade da empresa, como software ou plataformas baseadas em nuvem que auxiliam no gerenciamento de serviço de campo.

"O mundo e as relações sociais estão cada dia mais digitalizadas, pois as trocas de informações e as rotinas são muito dinâmicas e rápidas. Logo, é preciso estar sempre atento às mudanças de comportamento da população, que clama por comodidade e rapidez em todas as etapas do dia a dia", afirma Freire.

A fim de esclarecer dúvidas e mostrar que a tecnologia pode ir além quando o assunto é finanças, ele explica algumas outras formas de como o setor pode se beneficiar com as ferramentas da chamada Indústria 4.0. Confira:

O Blockchain chegou para revolucionar a segurança bancária

Muito se engana quem acredita que o Blockchain se limita às famosas bitcoins. Hoje, a ferramenta que visa criar blocos criptografados de informações também tem sido fortemente aplicada em transações bancárias, em especial no comércio exterior. Em linhas gerais, o Blockchain junta informações encadeadas, em que somente as pessoas autorizadas podem ter acesso aos dados, garantindo mais transparência e segurança a todas as partes envolvidas.

Análises preditivas contra ciberataques

A análise preditiva nada mais é que o estudo de informações, comportamentos e padrões para detectar os pontos fortes e fracos de uma determinada empresa ou serviço. A partir da coleta desses dados, é possível se antecipar a problemas e mapear as providências que podem ser tomadas para evitar qualquer tipo de ataque ou vazamento de informações sigilosas dos clientes, como a renda, movimentações bancárias e outros dados pessoais. Sendo assim, a Data Science e a predição ajudam, e muito, na segurança e na saúde financeira dos clientes e do próprio banco.

Internet das Coisas otimiza o trabalho dos times e ajuda na redução de custos

Para ajudar os clientes a manterem sua saúde financeira em dia, antes é preciso olhar para dentro de casa, e neste momento que a Internet das Coisas (IoT) entre. O IoT é uma ferramenta da Indústria 4.0 capaz de integrar o mundo analógico ao digital, otimizando tempo, recursos e proporcionando mais comodidade e agilidade nas atividades. Mas, além disso, também é possível extrair dados para as tomadas de decisão das empresas, como consumo de energia, temperatura e o monitoramento de insumos por meio de sensores, fornecendo informações valiosas para que as companhias possam detectar para onde estão indo seus recursos e como eles estão sendo gastos. Além disso, a automação de algumas áreas também permite um corte de gastos com mão de obra e a otimização de tempo dos colaboradores, que poderão se dedicar a outras atividades.

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook