Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Cultura

Caetano Veloso em Meu Coco - um disco contemporâneo mas sem estripulias sonoras

Ouvir

Por: Sandra Bittencourt

Álbum foi produzido no estúdio caseiro do compositor e é o primeiro de inéditas em nove anos

Álbum foi produzido no estúdio caseiro do compositor e é o primeiro de inéditas em nove anos
25/10/2021
    Compartilhe:

Meu Coco, primeiro álbum de inéditas assinado por Caetano Veloso em nove anos, não traz novidades mas também não decepciona. Caetano mantém o padrão ‘alinhado à contemporaneidade’ em letras de alta e incontestável poética, apesar da sonoridade do disco, muitas vezes, manter-se apegada a uma série de outras já exploradas em seus discos anteriores.

As doze faixas de Meu Coco ( Sony Music ) foram gravadas em seu estúdio caseiro, uma co-produção com Lucas Nunes . A faixa-título, logo na abertura , leva tambores de tonalidade afro-baianos e letra que exalta a miscigenação brasileira . Há sonoridades mais trabalhadas como acontece em Ciclâmen do Líbano, com arranjo de cordas orientais assinadas pelo violoncelista Jacques Morelenbaum , enquanto Não Vou Deixar, ganha contornos de rap e extravasa indignação sobre o momento atual.

Meu Coco, novo álbum de Caetano traz também canções de extrema delicadeza como é o caso de Autoacalanto, composta para o neto Benjamin, filho de Tom Veloso, nascido durante a pandemia e ainda, Cobre, uma valsa-canção de amor, regada a outro belo arranjo de cordas de Morelenbaum.

Típico da sagacidade do compositor baiano, Enzo Gabriel exalta o nome mais usado em 2019 ( “homem de Deus , senhor do lar”) , gancho usado com sensibilidade por Caetano para pensar os futuros cidadãos quando questiona - ‘ qual será teu papel na salvação do mundo? ’
Algumas canções são odes a artistas da MPB a exemplo de Gilgal e Sem samba não dá. Sem esquecer o fado estilizado Você Você , em duo com a cantora portuguesa Carminho, participação de Hamilton de Holanda no bandolim raqueando uma guitarra portuguesa. O disco fecha com Noite de Cristal, tema composto para Bethânia em 1988.  É Caetano Veloso e estamos conversados.

Para conferir o áudio do comentário acesse OUVIR.

 

Lembrando que sugestões de pauta devem ser enviadas para o e-mail [email protected]

 

 

 

 

 

 

 


 


 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook