Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Cultura

Jorge Helder presenteia a MPB com Samba Doce

Ouvir

Por: Sandra Bittencourt

Álbum é o primeiro autoral, do contrabaixista e compositor, em 40 anos de carreira

Álbum é o primeiro autoral, do contrabaixista e compositor,  em 40 anos de carreira
22/09/2020
    Compartilhe:

Jorge Helder, contrabaixista de relevo na cena da música popular brasileira, lança o álbum ''Samba Doce'' pelo Selo Sesc, seu primeiro álbum autoral em 40 anos de carreira. O projeto, moldado ao samba-jazz, “refina a tradição de música instrumental’’, como bem define Caetano Veloso, e traz de quebra, participações preciosas de Chico Buarque, Dori Caymmi, Rosa Passos, Stefano Bollani, Renato Braz, o grupo Boca Livre e as cordas da Orquestra Filarmônica de São Petersburgo. Na verdade, o disco reúne mais de 40 artistas em dez faixas, todas compostas por Helder, sendo metade delas em parceria com Chico Buarque, Aldir Blanc (1946-2020) e Rosa Passos.

Há momentos suntuosos como acontece na canção ‘‘Dorivá’’, uma lembrança à obra do grande Aldir Blanc , cuja letra é uma homenagem a Dorival Caymmi interpretada aqui , brilhantemente, por seu filho, Dori Caymmi. Já a parceria com Chico Buarque é de longa data. Desde participações na gravação de discos e de shows do cantor e compositor carioca até turnês pelo Brasil e exterior. A música incluída no disco, ‘’Bolero Blues’’ ,interpretada por Chico, é a primeira parceria dos dois, feita em 2006 e gravada por Chico, inclusive, no álbum ‘’Carioca’’. De Chico e Helder ainda, ouvimos Rubato”, com participação do cantor Renato Braz e o bolero Casualmente”, cantada pelo Boca Livre.

A cantora Rosa Passos interpreta com todo aquele charme que lhe é peculiar, e técnica perfeita, a parceria Inocente Blues”, um blues abrasileirado.  Participam da faixa músicos de peso a exemplo de Jessé Sadoc (arranjo de sopros), Antonio Adolfo (piano), Lula Galvão (guitarra) e Orquestra Atlântica.  Sem esquecer a instrumental  ‘’Outubro 86’’ com mais músicos da pesada : Marcelo Martins (sax tenor), Nelson Faria (guitarra), Rafael Vernet (piano), Kiko Freitas (bateria), e claro, Jorge Helder (contrabaixo).

Pra quem não conhece, o contrabaixista, compositor e arranjador Jorge Helder, nascido em Fortaleza e radicado no Rio de Janeiro há 34 anos,  já participou de mais de 350 discos tocando ao lado de artistas como Chico, Caetano, João Bosco, Maria Bethânia, Gal Costa, Elza Soares, Calcanhotto e por aí vai, a lista é extensa. Helder é mestre nas improvisações, nos fraseados melodiosos, nas divisões rítmicas inusitadas. Sua escola é a de grandes contrabaixistas da MPB como Luizão Maia, Sizão Machado, Nico Assumpção. E seu disco de baixo preferido, ’’ Word of Mouth’’, leva assinatura de Jaco Pastorious. Ou seja, o cara é mestre.

O álbum ‘’Samba Doce’’, de Jorge Helder, já está na plataforma do Sesc Digital e a partir de amanhã, quarta-feira, também nas plataformas de streaming.

Para conferir o comentário completo acesse OUVIR.

 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook